Sábado, 22 de Janeiro de 2011

 

 

Chama-se “Homenagem de afectos a Malangatana Valente Ngwenya”, a iniciativa que a Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, em Almada, organizou para hoje, prolongando a última exposição individual realizada pelo grande mestre Malangatana (1936-2011). Intitulada “Novos Sonhos a Preto e Branco” esta mostra abriu ao público a 23 de Outubro de 2010, reunindo “uma série de 15 desenhos inéditos” entre outras obras, e decorreu paralelamente à exposição dedicada ao arquitecto José Forjaz. Outro amigo de longa data de Malangatana, também arquitecto e também com ampla obra realizada em Moçambique é Pancho Guedes, cuja colecção de arte africana, reunida sobretudo durante as suas vivências em África, inclui um importante núcleo de pinturas precisamente do início da produção artística de Malangatana, podendo ser vistas na outra margem do rio Tejo, no Mercado de Santa Clara de Lisboa (em plena Feira da Ladra).

 

 

Programa para dia 22 de Janeiro, das 14h30 às 18h30, na CASA da CERCA, (entrada livre):

 

14h30

Encontro informal de amigos do artista

Visita à exposição Novos Sonhos a Preto e Branco e José Forjaz Arquitecto, Ideias e Projectos.

15h30

Intervenções informais / Apresentação de elementos pessoais da relação com o artista.

16h30/17h00

Actuação do Coral TAB (Barreiro). Cânticos em Ronga.

 

 

Lúcia Marques

 

 



publicado por Próximo Futuro às 06:02
link do post | comentar | partilhar

Terça-feira, 18 de Janeiro de 2011

O país chorou e, com verdade, Malangantana. Todos, povo, partidos, governo foram verdadeiros nador da despedida. Vale a pena perguntar, no entanto: fizemos-lhe em vida a celebração que ele tanto queria e merecia? Ou estamos reeditando o exercício de que somos especialistas: a homenagem póstuma? Quem tanto substitui pedir por conquistar acaba confundindo chorar por celebrar. E talvez o Mestre quisesse hoje menos lágrima e mais cor, mais conquista, mais celebração de uma utopia nova. Na verdade, Malangatana Valente Ngwenya produziu tanto em vida e produziu tanta vida que acabou ficando sem morte. Ele estará para sempre presente do lado da luz, do riso, do tempo. Este é um primeiro equívoco: Malangatana não tem sepultura. Nós não nos despedimos (continua).



publicado por Próximo Futuro às 12:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011

 

 

 

 

Malangatana (n 1936)

Célula 4 Expectativa, 1967

© Laura Castro Caldas & Paulo Cintra

Colecção Culturgest

 

 

Moldura do artista moçambicano Chissano

 

 

 

 

Exposição Réplica e Rebeldia. Artistas de Angola, Brasil Cabo Verde e Moçambique. 2006/ Instituto Camões



publicado por Próximo Futuro às 10:21
link do post | comentar | partilhar

Quinta-feira, 6 de Janeiro de 2011

 

Malangatana Valente Ngwenya, pintor Moçambicano, morreu com 74 anos e meio.

 

Malagatana tinha um andar arrastado lento, arredondado. Transportava o seu peso, as suas maleitas, todos os dias da sua vida sem grandes reclamações. Viajava muito e não reclamava. De Matalane para Maputo, de Maputo para Lisboa, de Lisboa para Maputo. Os seus pés inchados moviam-se pesados e firmes. Malangatana dançava marrabenta.

Malangatana tinha as órbitas salientes e um véu na menina dos olhos que denunciava descuidos de saúde. Pousava as vistas, antes fixava-as, num ponto sem se distrair de tudo em volta. E assim lia o que se passava.

Malangatana falava com voz grossa, profunda, enfumarada, escolhia o momento em que a sua boca se abria. E mordia.

Ngwenya quer dizer Crocodilo

Malangatana Valente Crocodilo morreu com 74 anos e meio. 

 

 

Nota: Não será difícil encontrar informações sobre Malangatana. Estão no documentário Ngwenya o Crocodilo de Isabel Noronha, aquiaquiaqui e em muitos outros sítios 



Elisa Santos



publicado por Próximo Futuro às 09:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever