Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Próximo Futuro

Próximo Futuro

09
Jul10

Este fim-de-semana

Próximo Futuro

Estão a chegar ao fim as sessões da "Cinemateca Próximo Futuro" programadas para este Verão. Esta sexta-feira e sábado, sempre às 22h, no Anfiteatro ao ar livre da Fundação Gulbenkian, são apresentados os filmes:

 

Rostov-Luanda, de Abderrahmane Sissako
9 de Julho, sexta-feira

O realizador mauritano Abderrahmane Sissako (n.1961) regista, neste filme de 1997, a sua viagem por uma Angola dilacerada pela guerra, supostamente à procura de um velho amigo, mas, na verdade, tentando recuperar a esperança que ele próprio criara. Sissako conta que a independência de Angola, em 1975, representou para si um novo recomeço de África. Nos anos 80, como tantos jovens africanos, partiu para a União Soviética, atrás de formação técnica e política, e lá conheceu um angolano, Baribanga, cuja confiança no futuro do seu país encarnava a esperança que Sissako depositava em todo o continente. Mas os anos de guerra civil que se seguiram, entre facções angolanas apoiadas cada uma pela sua superpotência, além das outras catástrofes que se abateram sobre África, arrasaram o optimismo da geração de Sissako. "Rostov-Luanda" é pois uma expressiva resposta à desilusão que encontramos em muitos filmes africanos recentes, como Afrique, je te plumerai, Udju Azul di Yonta e Tableau Ferraille.

 

 

Tamboro, de Sérgio Bernardes

10 de Julho, sábado - ÚLTIMA SESSÃO

 

Documentário sobre o Brasil, na sua diversidade cultural, geográfica e social, com intervenções de Leonardo Boff, Rose Marie Muraro, Aziz Ab´Saber e Ailton Krenak, entre outros, e diversas participações especiais de músicos como Hermeto Pascoal, grupo Afroreggae, Velha Guarda da Portela, Seu Jorge e repentistas nordestinos. Nesta longa-metragem as principais questões sociais e ambientais do Brasil – a desflorestação, a luta pelas terras, a “favelização” e a criminalidade nos grandes centros urbanos – são projectadas formando um panorama quase muralista da civilização. Do Monte Roraima aos Aparados da Serra, o filme percorre todo o Brasil revelando imagens surpreendentes.

 

 

E no domingo, 11 de Julho, às 21h30, no Anfiteatro ao ar livre:

 

PALAVRAS NA CIDADE, um espectáculo inédito de spoken word

©Márcia Lessa

 

O espectáculo Palavras na Cidade, com direcção artística de Carla Isidoro e Chullage, encerra um desafio: juntar artistas que admiram ou praticam a poesia falada, mas que nunca a fizeram em conjunto.

 

Juntos pela primeira vez num espectáculo de spoken word, os artistas convidados são co-criadores do material inédito que levarão a palco. Uma viagem onde Lisboa, a urbanidade, as memórias e as histórias pessoais são trabalhadas na palavra falada. O DJ assume-se como artesão do cenário musical enquanto  os VJs desenham o ambiente visual para cada performance, concedendo ao espectáculo um fio condutor.

 

O Spoken Word tem reclamado o seu lugar dentro da cultura contemporânea urbana vivendo do improviso, da declamação pura ou revestido por música. Neste caso, Lisboa é o pano de fundo que permite tecer teias de contos, experiências e sonhos que remontam à oralidade das histórias para crianças, que tão bem conhecemos, ou à perpetuação de memórias e passados que os griots continuam a manter em certos países africanos. São estórias que brotam das ruelas, das aspirações cultivadas à beira Tejo e da luz que impregna a vida da cidade. Hoje, Aqui e Agora são motes para a construção do Palavras na Cidade, em que se criam narrativas de pertença e silábicas realidades.

 

Intérpretes: Birú, Chullage, Kalaf, Kika Santos, Nástio Mosquito, Vera Cruz.

Cenário Musical: DJ Ride

Cenário Visual/VJs: Droid-id (Paulo Prazeres, Luís André, António Forte)

Direcção Artística: Carla Isidoro e Chullage

 

O espectáculo Palavras na Cidade resulta de uma colaboração entre o programa Descobrir e o Próximo Futuro.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D