Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Neste artigo defende-se que "segregar artistas em nome da 'diversidade' é prestar-lhes um mau serviço". O ponto de partida para o debate é o trabalho de Yinka Shonibare, a powerful reminder that cultures are almost never "pure", but rather made from a messy entanglement of influences.



publicado por Próximo Futuro às 10:20
link do post | partilhar

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever