Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Próximo Futuro

Próximo Futuro

03
Jun11

VILLA+DISCURSO, por Guillermo Calderón: de 'Santiago a Mil' ao 'Próximo Futuro' (dias 1, 2 e 3 de Julho!)

Próximo Futuro

Carla Romero, Francisca Lewin e Macarena Zamudio: as actrizes de "Villa+Discurso"

 

 

Gostamos tanto destas duas novas peças de Guillermo Calderón que, depois de termos apresentado "Neva", no ano passado, decidimos apresentar de novo as últimas obras deste extraordinário encenador e dramaturgo chileno, com umas actrizes também elas extraordinárias. As duas peças decorrem na Villa Grimaldi, uma casa que está tenebrosamente associada ao regime de Pinochet.  

 

O tema da primeira parte – “Villa” – é aparentemente simples: que fazer àquela casa que tem esse passado tão histórico e é uma memória a preservar da luta clandestina e da tortura? Três actrizes discutem frente a uma mesa sobre a qual está uma maqueta da Villa Grimaldi. A partir deste dispositivo realista, aparentemente simples, até banal num campo mediático, Calderón constrói uma das mais fortes, sólidas, profundas dramaturgias sobre a criação humana das artes, a validade da arte contemporânea, o debate democrático, os conflitos ideológicos, o papel da museografia. E em nenhuma situação há qualquer sinal da introdução ideológica possível do autor.

 

E chega a segunda parte – “Discurso –, que decorre na mesma sala e com as mesmas actrizes. É uma  ficção da despedida da Presidente Michelle Bachelet quando deixou o Palácio presidencial. Começa «Hoje não vos vou falar com palavras dóceis e esperadas…». E segue-se um manifesto do exercício do poder do ponto de vista de alguém que se assume como mulher, pediatra, optimista e socialista. E é fascinante como Calderón pega numa matéria tão arriscada, numa personagem que é considerada como a melhor presidente da história do Chile e interroga o que é o poder.

 

Para saber mais sobre este espectáculo pode começar pelo site do Festival Internacional de Teatro "Santiago a Mil" e seguir até ao (actual) Parque por la Paz Villa Grimaldi.

 

Villa +Discurso”, do dramaturgo e encenador chileno Guillermo Calderón, sobe ao palco da Gulbenkian nos próximos dias 1 de Julho (sexta, às 19h), 2 de Julho (sábado, às 21h30) e 3 de Julho (domingo, às 22h). Os bilhetes já podem ser adquiridos on-line por aqui.

 

02
Jun11

a CINEMATECA Próximo Futuro está prestes a começar!

Próximo Futuro

Cena do filme AFRICA UNITED, 2010, da realizadora Debs Gardner-Paterson

(Reino Unido / Ruanda / África do Sul)

 

 

A Cinemateca Próximo Futuro é singular. É uma Cinemateca que deseja que os filmes apresentados possam constituir narrativas visíveis sobre os países, as pessoas, as paisagens, os criadores oriundos dos continentes que são foco do Próximo Futuro: América Latina e Caraíbas, África e Europa.

 

Tal como nas edições anteriores, aqui se apresentam durante vários dias, às 22:00, no ecrã gigante instalado no ANFITEATRO AO AR LIVRE do Jardim da Gulbenkian, filmes de vários géneros, que vão do documentário à ficção.

 

A selecção dos filmes inclui obras antigas da história do cinema de África e da América Latina. Apresentará também pela primeira vez cinema de animação de autores africanos e será ainda possível ver, em estreia absoluta, três obras encomendadas e produzidas por este Programa a três cineastas: Vincent Moloi, João Salaviza e Paz Encina (Produtor Delegado: Filmes do Tejo). 

 

As sinopses de todos os filmes da Cinemateca Próximo Futuro já estão disponíveis no site oficial do programa e cada bilhete/sessão custa apenas 3 Euros.

Relembramos o calendário dos visionamentos para que possa apontar o quanto antes na sua agenda:

 

Dia 23 de Junho (quinta-feira), 22:00

Apnée, de Mahassine Hachad (Marrocos), 2010, 10’

When China met Africa, de Marc e Nick Francis (Reino Unido), 2010, 75’ 

 

Dia 24 de Junho (sexta-feira), 22:00

Fitzcarraldo, de Werner Herzog (Alemanha), 1982, 35mm, 157’

 

Dia 25 de Junho (sábado), 22:00

[sessão PRÓXIMO FUTURO "Três Filmes, Três Realizadores"]

Cerro Negro, de João Salaviza

Hidden Life, de Vincent Moloi 

Viento Sur, de Paz Encina 

 

Dia 28 de Junho (terça-feira), 22:00

Afrique Animée, de Moumoni Jupiter Sodré (Burkina Faso), 2010, 15’ 

Ti-Tiimou, de Michel K. Zongo (Burkina Faso), 2009, 30’ 

Un Transport en commun, de Dyanna Gaye (França/Senegal), 200948’ 

 

Dia 29 de Junho (quarta-feira), 22:00

Border Farm, de Thenjiwe Nkosi (África do Sul/EUA), 2010, 32’ 

Al'Lèèssi... Une Actrice Africaine, de Rahmatou Keita (Níger), 2004, 70'

 

Dia 30 de Junho (quinta-feira), 22:00

El Ascensor, de Tomás Bascopé e Jorge Sierra (Bolívia), 2009, 90'

 

Dia 1 de Julho (sexta-feira), 22:00

Africa United, de Debs Gardner-Paterson (Reino Unido/Ruanda/África do Sul), 2010, '84

01
Jun11

na rota europeia de LAKKA (Brasil): dias 22 e 23 de Junho!

Próximo Futuro

 

 

Em Abril estavam na Alemanha e participaram no "Festival Tanztage" (Oldenburg) e em Maio foi a vez da França os receber, nos "Rencontres Choregraphiques" de Seine-Saint-Denis. Finalmente, em Junho (dias 22 e 23), chegam a Portugal, para apresentar apenas nesses dois dias o seu projecto "O Corpo é o Mídia da Dança + Outras Partes". Estamos na rota europeia de LAKKA e dos intérpretes que o acompanham!

 

Nascido na Uberlândia (Brasil), Vanilton LAKKA é bailarino e coreógrafo desde 1991, realizando sobretudo projectos de pesquisa e criação em torno da chamada street dance. Interessam-lhe, de um modo especial, o "uso de técnicas corporais, a formatação de trabalhos de dança em diferentes suportes e a exploração da relação arte-cidade no ambiente urbano", conforme refere no website Lakka.

 

As duas performances que terão lugar na Gulbenkian de Lisboa constituem duas etapas complementares de um mesmo projecto: 

 

"O corpo é a mídia da dança?" (desenvolvido entre 2005 e 2006 no FID-Fórum Internacional de Dança)

+

"Outras partes" (dando continuidade, em 2006/2007, no programa Rumos Dança, ao processo iniciado no FID)

 

Em um mundo cada vez mais informatizado, quais são as possibilidades de construção do que podemos entender como Dança? Qual é o suporte possível para a Dança? O Corpo do intérprete pode ser entendido como um suporte assim como o computador, um material gráfico ou um telefone? Qual Dança épossível? Em que corpo/suporte, em que Mídia?

 

 

Perguntas com respostas nos próximos dias 22 de Junho (quarta-feira, às 21h30) e 23 de Junho (quinta-feira, às 19h)... Guarde já o seu lugar na bilheteira on-line!

 

 

Pág. 4/4

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D