Terça-feira, 2 de Agosto de 2011

(foto de Ana Rodrigues)

 

 

Luanda já não tem o Roque Santeiro, o maior mercado a céu aberto de toda a África, a escorrer do Sambizanga para o Porto como lava de vulcão;

 

Luanda já não tem tanto lixo, nem tantos loucos a vaguear, nem tantas crianças errantes, nem tantas armas, em poses tensas ou colos adormecidos, à porta de estabelecimentos.

 

Luanda já não tem a Rainha Ginga, altiva, no topo da Rua da Missão, não tem Mercado do Kinaxixe a honrar o nome da praça, nem as letras curvas e amarelas da Cuca a encimar o prédio azul e toda a paisagem em redor;

 

Não tarda a nova cidade, esta que faz intervenções cirúrgicas, com implantes de arranha-céus, estará de corpo ao léu nas novas praias da Ilha entre a Baía e o Atlântico.

 

 

Elisa Santos

 



publicado por Próximo Futuro às 09:30
link do post | partilhar

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever