Sexta-feira, 3 de Junho de 2011

Carla Romero, Francisca Lewin e Macarena Zamudio: as actrizes de "Villa+Discurso"

 

 

Gostamos tanto destas duas novas peças de Guillermo Calderón que, depois de termos apresentado "Neva", no ano passado, decidimos apresentar de novo as últimas obras deste extraordinário encenador e dramaturgo chileno, com umas actrizes também elas extraordinárias. As duas peças decorrem na Villa Grimaldi, uma casa que está tenebrosamente associada ao regime de Pinochet.  

 

O tema da primeira parte – “Villa” – é aparentemente simples: que fazer àquela casa que tem esse passado tão histórico e é uma memória a preservar da luta clandestina e da tortura? Três actrizes discutem frente a uma mesa sobre a qual está uma maqueta da Villa Grimaldi. A partir deste dispositivo realista, aparentemente simples, até banal num campo mediático, Calderón constrói uma das mais fortes, sólidas, profundas dramaturgias sobre a criação humana das artes, a validade da arte contemporânea, o debate democrático, os conflitos ideológicos, o papel da museografia. E em nenhuma situação há qualquer sinal da introdução ideológica possível do autor.

 

E chega a segunda parte – “Discurso –, que decorre na mesma sala e com as mesmas actrizes. É uma  ficção da despedida da Presidente Michelle Bachelet quando deixou o Palácio presidencial. Começa «Hoje não vos vou falar com palavras dóceis e esperadas…». E segue-se um manifesto do exercício do poder do ponto de vista de alguém que se assume como mulher, pediatra, optimista e socialista. E é fascinante como Calderón pega numa matéria tão arriscada, numa personagem que é considerada como a melhor presidente da história do Chile e interroga o que é o poder.

 

Para saber mais sobre este espectáculo pode começar pelo site do Festival Internacional de Teatro "Santiago a Mil" e seguir até ao (actual) Parque por la Paz Villa Grimaldi.

 

Villa +Discurso”, do dramaturgo e encenador chileno Guillermo Calderón, sobe ao palco da Gulbenkian nos próximos dias 1 de Julho (sexta, às 19h), 2 de Julho (sábado, às 21h30) e 3 de Julho (domingo, às 22h). Os bilhetes já podem ser adquiridos on-line por aqui.

 



publicado por Próximo Futuro às 06:30
link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De maria da conceição caleiro a 3 de Julho de 2011 às 12:39
dos textos (dramaturgo), vozes, atrizes... mais perturbantes a que tenho assistido. ora sufocante e torna-se emblema quase carnal da ditadura, assim como do difícil em comum, ora quase radioso pela sua fragilidade e paradoxo permanente (2ªparte). pessimista(?), inteligente, cheio de ironia


De Elisa Santos a 3 de Julho de 2011 às 18:06
impressionante


Comentar post

sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever