Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009


Agosto, Santiago do Chile

É Inverno no Chile. Um Inverno longo e frio. Santiago aquece-se ao sol enquanto a cordilheira em redor, majestosa, está coberta de neve e brilha, ainda é manhã e muito cedo. Em Santiago do Chile decorre o SANFIC5, um festival de cinema indie. Com apenas cinco anos de existência, já conquistou o seu lugar no panorama dos festivais internacionais de cinema. Centrado na cinematografia latino-americana, mas nao só, também apresenta filmes alemães, americanos independentes, romenos, etc...
A cinematografia latino-americana, de há sete anos a esta parte, é uma cinematografia invulgarmente criadora e, com os modelos novos de produção e de associação de produtores, consegue uma quantidade de produções anuais substantiva e inimaginável. Confirma-o as presenças dos filmes em Cannes, Locarno, San Sebastián, Sundance, etc... O Brasil é uma potência de produção e de distribuição (com o fenómeno dos multiplexes a mostrarem documentários brasileiros nas cidades de S. Paulo e Rio de Janeiro), o Chile, há cinco anos iniciou um processo de criação que o torna num dos países de referência no cinema do século xxi, há um novo cinema mexicano rodado entre o México e Los Angeles e até a Colômbia começou a filmar e o Uruguai mostra casos sempre singulares.

Navidad do realizador Sebastián Lelio (1974), nascido argentino mas a viver no Chile, é o segundo filme deste cineasta, depois de uma estreia em 2005 com "La Sagrada Familia". "Natividad" confirma o enorme talento do realizador. Tem por tema a família, que o cineasta considera um dos núcleos sociais mais fascinantes de filmar no mundo contemporâneo, fazendo dele um realizador etnógrafo profundamente urbano. A homossexualidade é o outro tema do realizador tambem presente neste filme como expressão de liberdade política, mas nunca planfetária. "Navidad" é um conto erótico de noite de natal. O guião é poderoso nos detalhes, que supreendem a todo o momento o espectador e produzem uma narrativa de desvios e ambiguidades, o cenário - uma casa na floresta, mas a 10 minutos da cidade! - uma casa que é uma máquina de multiplicação de planos. As cenas de amor são de uma plasticidade contagiante, os actores, jovens actores, são brilhantes nas suas performances.

apr


publicado por Próximo Futuro às 10:23
link do post | comentar | partilhar

sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever