Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

Em Outubro de 2007, no catálogo de Um Atlas de Acontecimentos, exposição realizada no âmbito do fórum cultural O Estado do Mundo (por ocasião das comemorações do cinquentenário da Fundação Gulbenkian), os seus curadores, António Pinto Ribeiro, Debra Singer e Esra Sarigedik Öktem, escreveram:

«A velocidade como princípio estrutural fundamental do mundo contemporâneo é uma proposição central da obra do influente teórico urbano Paul Virilio. Na sua visão do mundo, foi a busca da humanidade pela velocidade – ou por uma “aceleração lógica” – que operou uma transformação fundamental na sociedade moderna, visto estar na base do progresso tecnológico. A velocidade, para Virilio, é a essência da inovação na guerra e nos media, que, por sua vez, são os principais agentes que enformam o curso da História. Se concordarmos em assumir, então, que a velocidade e a aceleração – como fins em si próprias – caracterizam o mundo contemporâneo, então talvez não seja descabido pensarmos que estamos cada vez mais incluídos no meio de um contínuo de acontecimentos, onde um substitui o outro sem pausas para considerações ou para consequências (...)»


publicado por Próximo Futuro às 12:10
link do post | comentar | partilhar

sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever