Sexta-feira, 15 de Abril de 2011

 

Inaugura já no próximo dia 20 de Abril, na Maison Revue Noire, uma nova instalação (na foto) do artista camaronês Pascale Marthine Tayou dedicada a "anos de amizade e colaboração com os seus 'fétiches' Revue Noire".

P. M. Tayou nasceu em 1967 nos Camarões e actualmente vive em Douala e Bruxelas. Licenciado em Direito no seu país natal, iniciou-se nos anos 90 como artista autodidata e já integrou importantes mostras internacionais tais como: Who knows tomorrow (Berlim, Alemanha, 2010), 52.ª Biennale di Venezia (Itália, 2009), 4.ª Echigo-Tsumari Art Triennale (Tsumari, Japão, 2009), Africa Remix (Düsseldorf, Londres, Paris, Tóquio, Joanesburgo, 2004-2007), 8.ª Bienal de Istambul (Turquia, 2003), Documenta 11 (Kassel, Alemanha, 2002), 2.ª Bienal de Berlim (Alemanha, 2001), The Short Century (Munique-Berlim, Alemanha, 2001).

Aqui é possível ler uma curiosa entrevista através das palavras do curador francês de raízes camaronesas Simon Njami (co-fundador e editor-chefe da Revue Noire), a propósito de uma exposição virtual com o fotógrafo português, nascido em Barcelona, Jordi Burch.

 

Paralelamente, Joël Andrianomearisoa (n. 1977, Madagáscar) apresenta uma exposição colectiva iniciada em Antananarivo e intitulada 30 et Presque Songes, com "30 amigos, 30 artistas do mundo, que se reúnem em torno de obras originais de todas as disciplinas (arquitectura, arte sonora, culinária, fotografia, vídeo, arte visual, literatura, design...)". Vale a pena espreitar aqui também!

 

 

Lúcia Marques

 



publicado por Próximo Futuro às 06:30
link do post | comentar | partilhar

sobre
Próximo Futuro é um programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África.
Orquestra Estado do Mundo
This text will be replaced by the flash music player.
posts recentes
links
arquivos
tags
subscrever